Notícias

Porto de Galinhas com crianças: dicas e roteiros para a família!

Nada melhor para começar o ano, do que um destino alto astral e de praia, como Porto de Galinhas! Esta maravilhosa praia, super “kids friendly”, e escolhida pelos leitores da Revista Viagem e Turismo como a melhor praia do Brasil, fica a 1 hora de Recife. E ainda conta com vôos diretos do Rio de Janeiro ou São Paulo com preços cada vez mais acessíveis, se programando com antecedência!

Ficamos 4 dias e adoramos:
Curtir a praia enorme, super extensa, mar calminho, praticamente sem ondas, daquelas que a gente anda bastante para dentro do mar para poder mergulhar, portanto, perfeita para crianças! E com água morna!

Dica: vá de manhã cedo (com crianças, isso parece até redundância), mas é que a maré enche rápido e lá pelas 15, 16h a praia que era enorme, vai ficando mais curtinha, eliminando as barracas e área para brincar!

Do lado esquerdo da praia, olhando para o mar, tem mais barracas e agito, mas o pedaço de areia também é maior e desaparece mais devagar!

Pegar uma jangada, ver e alimentar os peixinhos. Esta é a melhor parte e a mais emocionante para as crianças! Mais uma vez, cheguem cedo para pegar a maré baixa. Perguntem para os habitantes locais qual o melhor horário para chegar. A jangada custa R$ 10,00/ adulto e crianças não pagam até uns 8 anos (palavras do jangadeiro, que bate o olho na criança e decide se ela vai pagar ou não em função do seu tamanho…). Vocês podem pegar os tíquetes em um mini quiosque, bem na descida das escadas principais para a praia. Ou podem também ir direto para as jangadas, que eles acabam acomodando vocês: 6 pessoas por jangada. Pode acontecer de terem que esperar um pouco, pois eles não saem sem “lotar” a jangada.

O passeio é muito divertido, com a água bem pertinho e encontro com alguns peixes já no caminho para os recifes de corais, logo em frente.

Ali, vocês vão poder ver várias piscinas naturais, com peixes coloridos, mas em geral, muitos sargentinhos, riscados de amarelo e preto. Uma emoção para os pequenos! Não esqueçam de levar sandálias que possam entrar na água, para não machucar os pés com corais ou ouriços!

O jangadeiro em geral, traz ração para os peixes e as crianças podem alimentá-los. (Na verdade, devo confessar que acho isso tudo bastante fake, inclusive, me dá pena de alimentar tanto os peixes! Mas não há como negar que para as crianças, isso tudo é muito empolgante e mágico!) E ainda fiquei feliz de observar que, desta vez, vários lugares estavam protegidos por uma corda, para impedir as pessoas de pisarem nos corais e permitir que voltem a crescer. Dado o número alto de turistas, isso nem sempre é respeitado! Mas os próprios jangadeiros monitoram essas áreas e dão broncas!

Fazer um passeio de buggy, que vai até as duas pontas: a praia de Muro Alto, do lado esquerdo de Porto de Galinhas e Maracaípe, do lado direito. Nós pegamos o passeio de 3 h por R$ 80,00, mas os motoristas já estavam falando que iam passar para R$ 120,00 na alta estação.

O passeio é bem bacana, tanto para os adultos, quanto para as crianças! Passamos no meio do coqueiral, em frente a vários resorts como o Summerville ou Nannai e chegamos em Muro Alto, uma praia que mais parece uma piscina natural, já que ela não tem ondas nenhuma, devido a barreira de corais em frente a ela. Para as crianças pequenas é ideal! A cor da água é cristalina.
Não tem tanta estrutura como em Porto de Galinhas, existem algumas mesas, barracas e cadeiras que as pessoas colocam diretamente dentro da água.

Depois de passar um tempo ali, vocês vão retomar o buggy para visitar a outra ponta, a praia de Maracaípe, onde existe um grande bar com chuveiros e estrutura. O resto da praia é bem deserto (maravilhoso para correr e brincar) e mais visitado por surfistas. É aqui que fica uma pousada super interessante com crianças: Xalés de Maracaípe.

Conhecer o Projeto Hippocampus (http://www.projetohippocampus.org/index.html): no Pontal de Maracaípe, quem quiser ainda pode fazer um passeio de jangada pelos manguezais, por R$ 10,00/ pessoa, pois existe um canal que desemboca no mar, formando o Pontal. O passeio é legal, mas melhor ainda é conhecer o Projeto Hippocampus, e ver aquários com cavalos-marinhos, animais ameaçados de extinção. Também existe a opção de ver os jangadeiros capturarem os cavalos-marinhos em seu habitat natural, mas apesar dos jangadeiros serem bem simpáticos, a impressão que dá é que os animais ficam estressados com tantas pessoas e fotos (depois das fotos, eles são soltos novamente). Melhor mesmo vê-los nos aquários!

Tirar fotos com todas as esculturas de galinhas em palha de coqueiro: elas estão por toda a parte e seguem a temática do lugar em frente ao qual ficam: em geral, comércios, restaurantes, farmácias, lojas…e quase todas são do escultor Carcará! Elas dão personalidade à vila!

Comprar camisetas e outros artesanatos “infantis”: a vila tem muitas lojinhas cheias de artesanato, camisetas, lembranças e galinhas de todos os tipos: madeira, pano, cerâmica…Fora os quadros de galinhas, peixes…tudo muito colorido e com cara bem infantil!

Comer super bem: opções aqui é que não faltam! Tem restaurantes e barzinhos para todos os gostos e bolsos! Do caldinho de feijão, super bem temperado, do Caldinho do Cláudio (na rua principal, perto da praia), passando pela pizzaria Albatroz, em frente, com pizza bem fininha feita no forno a lenha, ou a picanha do Tio Dadá, várias opções para saciar aquela fominha depois da praia.

Reserve uma noite para descobrir os deliciosos pratos do IM-PER-DÍ-VEL Beijupirá (http://www.beijupira.com.br/)! Este restaurante faz parte da Associação do Prato da Boa Lembrança: se o prato escolhido for o da Boa Lembrança, no final do jantar, você recebe um prato pintado à mão, lembrança colacionável. Tanto o restaurante com sua decoração cuidada e despojada e os pratos super criativos são inesquecíveis!

Destaque especial para o Restaurante Al Mare (http://www.espacoalmare.com.br/), com acesso direto para a praia e um pequeno Kids Club, além de estrutura com chuveiro, para tirar o sal e areia depois da praia. Cuidado! Os pratos servem facilmente 2 ou 3 pessoas!

E não esqueçam de provar a tapioca e o bolo de rolo, muitas vezes servidos no café da manhã das pousadas!

Para se hospedar:
$ Desta vez, ficamos na Pousada Porto Verde (http://www.pousadaportoverde.com.br/), uma pousadinha bem simples, familiar, porém gostosa, acolhedora, e que fica pertinho do Centro, permitindo ir a pé para a praia e restaurantes. Ana, a dona, gosta muito de artesanato e sua pousada chama muito a atenção pelos detalhes! E ainda tem piscina, para um mergulho na volta da praia!

$$ Pousada Xalés de Maracaípe (http://www.xalesdemaracaipe.com.br/): fica longe do centro, em Maracaípe, mas bem de frente para a praia! Tem fazenda, piscinas, e xalés familiares bem grandes! Esta é uma boa opção se quiserem sossego, longe do agito. Para ir para vila, podem pegar um táxi, por uns R$ 20,00.

$$$$ Summerville Beach Resort (http://www.summervilleresort.com.br/summerkids.php) :tem sistema de meia-pensão com jantar, Kids club, restaurante infantil, recreação, oficinas de arte e playground de madeira, além de três piscinas e coqueiros para todos os lados.

Pousadas e hotéis não faltam em Porto de Galinhas! Como os restaurantes, tem para todos os gostos e bolsos!

Gostamos menos:
Dos inúmeros vendedores ambulantes na praia! Um verdadeiro shopping! Tem de tudo e alguns vendedores bem barulhentos (caso dos quiosques de caipirinha que botam todo tipo de música altíssima, com direito a “Rebolation”!) Solução: ir mais para a esquerda possível, sair da “muvuca” e relaxar e levar na esportiva, mas diga logo que não quer as coisas, ou senão, os repentistas, por exemplo, sairão cantando versos para toda a família!

Os preços na praia são abusivos! Se vocês comerem um peixe na brasa (que vem com um pouco de salada, batata e mandioca frita) + as bebidas, não saem de lá por menos de R$ 80,00, sendo que só o peixe já gira em torno de R$ 60,00! E os rapazes das barracas dizem que vocês não podem ocupar cadeiras e ombrelones se não consumirem, mas olhem bem no cardápio, que essa possibilidade existe sim! R$ 5,00/cadeira e R$ 5,00 pelo ombrelone. Ou seja, vocês podem ocupar as cadeiras e mesas, consumir somente uma água de côco se quiserem, sem ter, obrigatoriamente, que almoçar!

A vila em si é “engraçadinha”, mas não exatamente bonita. Mais uma vez, construções irregulares, e falta de planejamento fazem com que uma das praias mais turísticas do Brasil, que poderia ser muito mais charmosa, deixe a desejar… (opinião pessoal!).

Mas como sempre, a paisagem é tão linda, as pessoas tão calorosas e a comida maravilhosa que acabamos ficando encantados com o todo e esquecendo esses detalhes…

Viagem feita em dezembro de 2010: muito sol e calor!

Fonte: http://viajandocompimpolhos.wordpress.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Entrar em contato

Não estamos on-line no momento. Mas você pode nos enviar uma mensagem e nós vamos responder o mais breve possível.

Dúvidas? Nós estamos aqui. Envie-nos uma mensagem!

Clique ENTER para o chat